Arthur Claro = porém ≠

17 de janeiro de 2019

O OBSERVADOR DOS SONHOS


Enquanto ela dorme profundamente
Eu fico olhando o corpo despido
Nada de malícias na minha mente
Não quero que ela tenha o sono interrompido
Ela é tão bela
A Lua ilumina todo o corpo dela

Parece que ela está tendo um sonho bom
Pois ela sorri de olhos fechados
Ela dorme tranquila sem emitir um som
Só de vê-la assim me deixa inspirado
Pego papel, caneta e risco estes poéticos versos
Só de te ver dormi meus pensamentos ficam dispersos

Arthur Claro

Essa poesia foi criada ao acaso quando a Joana (uma amiga que conheci no Instagram) me pediu para fazer uma poesia para ela, o resultado e esta, a foto é uma montagem que fiz no PicsArt de uma foto dela.