// //
ESCOLA É VIDA !

ESCOLA


Uploaded with ImageShack.us
Uploaded with ImageShack.us

quinta-feira, 17 de abril de 2014

CONTO DE FADAS: O PATINHO FEIO: Trabalhando autoestima ou a falta dela.

CONTO DE FADAS: O PATINHO FEIO: (Hans Chistian Andersen)- Para ser um conto de fadas é necessário que no final da história, apresente um consolo, uma recuperação ou uma transformação positiva do personagem.
Através dos contos de fada, a criança coloca em ordem sua casa interior( Psicanalista Bruno Bettelhein) alivia pressões, medos e angustias, os contos são espelhos mágicos que reflete alguns aspectos dos nosso mundo interior e dos passos necessários para evoluirmos da imaturidade para a maturidade. 




1- Depois de assistir ao vídeo: O PATINHO FEIO, através da troca de ideias em grupo, refletir sobre a história, tentando se perceber no lugar do patinho feio.





2- Perguntar e responder sobre a história do Patinho feio, através da brincadeira da batata quente, na medida que a caixa de perguntas vai passando no circulo, o grupo vai cantando a música: Os patinhos foram passear... Quando cantar o primeiro quá, que é o grito da pata mãe, para de rodar a caixa de perguntas no circulo, onde o aluno que se encontrar com a caixa na mão indicará alguém para responder a pergunta que ele vai ler.
PERGUNTAS DA CAIXINHA:

* Dona pata estava chocando seus ovos; Como o pato pai estava se sentindo?
* Quantos patinhos nasceram?
* Porque a pata mãe e o pato pai discutiram?
* Porque a pata mãe rejeitou um dos patinhos?
* Qual foi a atitude do patinho ao descobrir que sua família o rejeitavam?
* Além de Dona pata e seus irmãos, quem mais, não quis saber do patinho?
* Quando a família de cisne encontrou o patinho, o que ele estava fazendo?
* Quem acolheu o patinho feio?
* Quais das duas famílias da história, você acha que é a verdadeira família do Patinho feio?
* Como será que o ovo do patinho feio foi parar no ninho de Dona pata?
* Quando o patinho parou de sofrer?
* Qual foi a atitude do patinho em relação a sua antiga família, ao descobrir que não era feio?



3- Confeccionar através de dobraduras as duas famílias da história do Patinho feio, incluindo a mãe pata, montando um lindo painel sobre a história.




TRABALHO MANUAIS DESPERTA A CRIATIVIDADE E MELHORA AUTOESTIMA

Origami  da cabeça do coelho falante.
 Atenção, dedicação e disposição para ver o trabalho realizado não faltou para confecção da máscara do coelho falante. Lindos!
Os trabalhos manuais ajudam a despertar os requisitos básicos de autoestima. Estimula o sentimento de se sentir capaz e produtivo, estimula também o ato de iniciar algo novo e transformar em alguma coisa útil e bonita. Percebem que são capazes e talentosos, alcançam assim um grau de segurança em si, supera dificuldades como a timidez, superando traumas; sai da zona de conforto aceitando que existe possibilidades de envolver e desenvolver algo.

sexta-feira, 4 de abril de 2014

SUPORTE PEDAGÓGICO - Acompanhamento escolar




TEXTO: O PEIXINHO CURIOSO QUE DESCOBRIU O MAR... Tema que estimula a vontade de seguir a vida e não desanimar frente aos obstáculos.
Depois do professor contar a história: O peixinho curioso que descobriu o mar... através da ilustração da mesma, será feito leitura sequenciada pelos alunos, em circulo, cada um tem um parágrafo da história enumerado para saber da sua vez de ler.
Trabalhando a reflexão e interpretação, depois da história contada, lida e dialogada, será colocado dentro de uma caixinha várias perguntas no qual a caixa passará de mão em mão, enquanto todos cantam a música: Se eu fosse um peixinho e soubesse nadar, eu tirava ... ( neste momento para-se de cantar, quem tiver com a caixa na mão termina de cantar a música, escolhendo alguém para fazer a pergunta.) ex: ...a Maria do fundo do mar; então a Maria responderá a pergunta que foi tirada da caixa, seguido até o grupo perguntar e responder tudo.

O  Peixinho curioso que descobriu o mar...


1-    Em um lindo jardim havia um lago onde vivia uma comunidade de peixes despreocupados entre a gula e a preguiça, satisfaziam-se com a vida fácil que levavam.


2-    Tinham como rei, um peixe graúdo e mandão.


3-    Também vivia naquele lago um peixinho muito curioso, não gostava daquela vida pacata e preguiçosa do lago, por isso,menosprezado por todos, vivia correndo atrás do que comer, queria melhorar, sentia-se sozinho em seu habitat. O peixinho curioso tinha vontade de fazer coisas diferentes, pesquisava, analisava todo o ambiente em que vivia na esperança de encontrar uma saída que o motivasse a viver melhor, explorava os cantos e recantos do lago. Até que, movido pela curiosidade e persistência, descobriu que o lago onde morava recebia águas através de um córrego, sendo que a mesma água que por ali passava desembocava em outro córrego lá embaixo. - Nossa! Expressou o peixinho. E pensou alto: O que poderia haver adiante, para onde as águas estavam indo!



4-    Tentava com esforço enorme ultrapassar a barreira que cercava o lago, na persistência adentrou naquele emaranhado de  galhos secos, pedras e plantas e pra piorar uma grade de ferro enorme, dificultava à saída do lago, mas ele não desistiu seguiu em frente... e...



5-    E lá se foi, muito corajoso e valente com seu propósito de descobrir coisas novas e lugares diferentes, seguiu pelo caminho do córrego até alcançar o rio.


6-    No rio, ficou encantado com o que viu muitos peixes coloridos e alegres, novos amigos diferentes que conversavam com ele dando boas vindas, gostou das plantas, casas e pessoas que havia na encosta do rio, muitas águas há no rio. Ali no rio soube do mar, que suas águas eram imensas, que não acabavam mais, plantas exóticas, cardumes de peixes enormes, corais coloridos, ele iria gostar...


7-     Mas, que para chegar até o mar, teria que passar por caminhos complicados e perigosos por certo, poderia encontrar: peixes peçonhentos, bruxas do mar, baleias com a boca enorme querendo engoli-lo, poderia ficar trancado nas pedras e um tubarão pega-lo pelo rabo, ficar enrolado uma rede enorme de pescadores ou anzóis soltos pelo mar, tinha de tomar muito cuidado, ficar esperto. Mas decidiu, enfrentou tudo, não desistiu, ficou animado, gostava de  aventuras, persistiu tanto, que acabou chegando no mar...


8-    Nossa! Lindo, gigante e diferente era o mar, imensas águas,  enormes corais e cardumes de peixes coloridos, havia lugares para todos que quisessem nele morar. Imediatamente instalou-se em um colorido e tranquilo coral, ali todos viviam em sintonia, eram unidos, encontrou amigos de verdade, compartilhavam os afazeres, cooperavam entre si, com consciência, todas as tarefas a realizar na nova comunidade. Vivia feliz... mas sua alegria não era completa, pois sentia compaixão por seus antigos amigos que viviam lá no lago, não era egoísta e preguiçoso igual eles, pensava o peixinho curioso: Que talvez se lhes falasse do mar... Sairiam da preguiça, do egoísmo e acomodação que sempre viverá.


9-    No outro dia de madrugadinha, o peixinho curioso partiu, fazendo todo o percurso de volta, agora contra a correnteza o peixinho curioso nadava com todas as suas forças, atravessou os perigos de lugares tenebrosos, os córregos, o rio, novamente o córrego, enfrentou os emaranhados de pedras, galhos secos e grade, até que chegar em sua antiga morada. O lago.









10-                      No lago  o peixinho curioso chegou todo eufórico querendo contar... foi onde percebeu que ninguém havia notado a sua ausência, causa do egoísmo em que viviam, mas mesmo assim o peixinho curioso subiu em cima da maior pedra do lago e gritou bem alto: -Oiiiiiiiiiiii, quero falar de um mundo fantástico que conheci, oiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii, por favor me escutem! O peixe rei, vendo o peixinho gritando, ordenou que todos o escutassem: Então o peixinho curioso aproveitou e falou: De todas as suas descobertas e aventuras vividas, que o mar era imenso, lindo, onde todos cooperavam se entre si, que sua vontade era levar todos dali para o mar. Mal o peixinho acabou de falar, todos começaram a rir dele, chamando-o de maluco, não queriam saber de esforço, não queriam descobrir nada, da vida acomodada e preguiçosa que levavam não queriam mais nada. Mandaram o peixinho curioso embora, e que não perturbassem seu bem estar, falou o rei.

11-                     Desiludido, decepcionado e triste voltava o peixinho curioso para o mar.

12-                     Ao passar pelo rio, percebeu que bons amigos o aguardavam para com ele partir para o mar. O peixinho curioso, então alegrou-se novamente. E seguiram pelo caminho afora...

13-                     Chegando ao mar, procuraram o tranquilo e harmonioso coral, onde todos realizavam suas tarefas diárias entusiasmados e  de cooperativos entre si, o peixinho curioso esqueceu de sua antiga comunidade.

14-                     Só lembrou-se deles tempos depois, ao ouvir sobre pavorosa, seca que se abateu, sobre terras longínquas de onde viverá, onde seus antigos amigos morreram atolados na lama.

15-                     Então! Somos peixinhos ávidos de saber, buscamos conhecer e aprender coisas novas, aguçados por uma curiosidade sem fim, prestando atenção em tudo que temos a realizar, com vontade de fazer bonito, nos concentrando, mostrando, determinação e bondade no coração, insistindo sempre no bem para si mesmo e também ao próximo,  igual ao peixinho que descobriu o mar... ou morreremos com a seca!

    
 Adaptação da história: O Peixinho Vermelho
         De André Luiz – Psicografado por Chico Xavier


 RESPONDER ORALMENTE E REFLETIR SOBRE: O Peixinho curioso que descobriu o mar...
1-    De que maneira viviam os peixes do lago?
2-    Que tipo de relacionamento tinha o peixinho curioso e os peixes do lago?
3-    Como era o peixinho curioso do lago? O que buscava?
4-    O que o peixinho curioso descobriu no lago?
5-    O que o peixinho curioso fez para atravessar a barreira que impedia-o de passar?
6-    Quais foram os caminhos percorridos pelo peixinho curioso até chegar ao mar?
7-    Onde o peixinho estava ao descobrir que existia o mar?
8-    Quais foram os obstáculos que o peixinho curioso percorreu, antes de chegar ao mar?
9-    Quando chegou ao mar, onde o peixinho foi morar?
10-                     Como viviam e eram os peixes do mar?

11-                     No mar que tipo de sentimento o peixinho curioso despertou ao lembrar de seus antigos amigos? O que resolveu fazer?
12-                     Ao chegar ao lago, como os antigos amigos receberam o peixinho curioso?
13-                     Depois que o peixinho curioso contou de todas suas aventuras e vontade, o que fizeram os peixes do lago?
14-                     Ao perceber que os peixinhos não tinham vontade de mudar, nem  de descobrir ambientes diferentes, como o peixinho curioso se sentiu e resolveu fazer?
15-                     Com o passar dos anos o que aconteceu com os peixes e ambiente do lago?

16-                     Como devemos ser e fazer, para vivermos mais seguros e felizes?

*Trabalhos manuais melhora autoestima: Origami do peixinho curioso.

VAMOS  MATEMATICAR - Através de tampas, potes, garrafas, copos e rolos de papel, que são materiais necessários para estudar uma realidade concreta e complexa da sala de aula como:  classificar, separar, sequenciar, cores, formas geométricas, tamanhos, valor, espécies, facilitando também a contagem, através da aritmética; somando subtraindo, multiplicando, dividindo, sintetizando através de gráficos, exercitando, assim um pensamento lógico, através das interpretações contextualizadas e divertidas. 


ATIVIDADES: Autoestima
1- Olhando seu nome de forma diferente.
Quem gosta do seu nome, gosta da sua identidade!
Que tal olhar o seu nome de forma diferente!
Criatividade e ousadia não faltou nesta atividade!

COMO FAZER: Dobrar uma folha de oficio ao meio na vertical, ela ficará dupla, onde você escreverá seu nome com letras cursivas de lápis, agora passe canetinha ou lápis de cor por cima da escrita com lápis, em seguida recortar contornando a escrita a parte em que o lado esta aberto, depois abra a folha e perceba que monstrinho furioso seu nome se transformou. Use sua criatividade para decorar.
* De um nome ao seu monstrinho, escrevendo um dia na vida dele.





* De um nome ao seu monstrinho, escrevendo um dia na vida dele.

2- Demonstre seu afeto a um amigo:
Em dupla escreva três qualidades num papel colorido e enfeite usando sua criatividade, demonstrando seu carinho e afeição; ler em voz alta e entregue a seu amigo dando um abraço


3- VOCÊ É IMPORTANTE PARA MIM!
Objetivo: Melhorar a auto-estima por meio de autoconhecimento e entrosamento da turma:
Material: Papel colorido, caneta e fita adesiva

Cada aluno deverá cortar duas tiras de papel colorido e escrever nelas com caneta colorida a frase:
VOCÊ É IMPORTANTE PARA MIM!
Um aluno por vez deve escolher um colega da turma para entregar a tira de papel, contando sua admiração ou afeto por seu amigo, e porque acha esse amigo importante.
O colega escolhido deve fazer o mesmo, com outro colega ou o mesmo que lhe entregou a tira de papel, e assim por diante, até que todos tenham recebido a tira  de papel, com a frase: VOCÊ É IMPORTANTE PARA MIM! (combinar no grupo para que ninguém fique sem ganhar a tira de papel, pois na verdade todos somos importante).
*Ao terminar a dinâmica, promover um momento de diálogo, onde todos terão a oportunidade de trocar ideias sobre a atividade, o que sentiram, no que pensaram etc...
* Sugerir que se abracem, fortalecendo os laços de amizade.
*Para terminar essa atividade peça que cada um entregue a tira de papel restante para alguém da família ou algum amigo de fora da escola.
CONCLUSÃO:
* Muitas vezes prestamos mais atenção nos defeitos dos outros do que nas qualidades.
*Poucas vezes percebemos nossas próprias qualidades e nosso potencial.
*Cada pessoa é um ser único com suas qualidades e limitações, sendo justamente essa grande diferença que faz de nós importantes e diferentes.

4-Mùsica: Legal, legal, legal
Estimula a atenção e exercita as expressões faciais e corporais, define gestos, inspiram para a dramatização dando ritmo a dança, valoriza sua interação com o grupo de forma divertida e alegre. Pode ser dançado com gestos individualmente, em dupla, em dança circular. Sensação de bem estar e alegria no final de cada apresentação.


Olá! Como vai?
Olá! Como vai?
Eu vou bem!
Eu vou bem!
E você vai bem também!
Legal, legal, legal,
 legal, legal, legal!
Legal, legal, legal,
legal, legal, legal!

(repete 5 várias vezes)



ATIVIDADES: AUTO- IMAGEM ou AUTO- RETRATO

1-Como estou me sentido hoje?
Observar as caretas (smille) identificar suas expressões faciais, relacionando-as no quadro de expressões a cada adjetivo apresentado, primeiro oralmente, depois escrito.
Cada aluno é representado por um bonequinho, feito pelo próprio.
Num segundo momento refletir sobre: Como está se sentindo no momento?  Escolher uma expressão facial, colocando seu bonequinho abaixo desta expressão, demostrando e assumindo no quadro de expressões seu sentimento ao grupo.
Onde terá o momento de conversar e todos juntos tentar dar ideias ou soluções se for o caso. Se for sentimentos de satisfação ou alegria, parabenizar e falar dos motivos do qual o levou a esse sentimento.




2-Se eu fosse...
Um animal, qual seria?
Uma planta, qual seria?
Um pássaro, qual seria?
Um peixe, qual seria?
Qual comida faria?
Pesquisar no google, as imagens acima e escrever o nome de duas imagem, conforme o seu gosto.
Depois conversar na sala de aula sobre o gosto de cada aluno.





3- O que eu mudaria na imagem?
Observar o retrato ou imagem de alguém, comentar, conceituar, o que acham? etc...
Ex: Figuras, gravuras ou imagens de pessoas se divertindo, triste, brincando, trabalhando, pulando, cozinhando, estudando, com pressa, nervoso, gritando, chorando, sorrindo etc...
Num segundo momento, recortar a imagem em dez pedaços, em seguida colar num fundo colorido, de forma desarticulada (cubismo) Ex: pernas para cima cabeça para baixo, peças sobre postas, uma por cima da outra etc... desmanchar, mudar conceitos pré estabelecidos, desarrumar...


4- Como eu me vejo? 
Após a leitura e atividades pré estabelecidas, levando em consideração as conversas e observações feitas, o aluno deverá observar a sua imagem por inteiro no espelho, ou pegar uma fotografia sua, servindo de base para o aluno criar sua auto- imagem.
Obs: Existe aluno que gosta de desenhar usando somente sua memória e produzem excelentes resultados.
Num segundo momento usar tinta guache, para pintar, podendo dar várias opções de cores ou somente uma cor ou duas, oferecendo a cor preferida pelo aluno para que ele produza tons diferentes se quiser.

5- Como meu colega me veja?
Pedir que cada aluno faça um retrato do seu colega, sem o colega ver, depois fazer uma comparação com o auto retrato do colega de forma que a turma e o colega perceba as diferenças e semelhanças nas observações e formas do desenho e pintura.( propaganda da Dove).



AVALIAÇÃO: O aluno poderá relatar para a turma o que priorizou em seu auto-retrato, suas características físicas ou psicológicas.
As vezes nosso colega nos veja mais bonito, alegres, feliz do que a gente pensa!!
As vezes as pessoas são mais positivas que nós em relação ao nosso corpo e rosto etc...
As pessoas podem descrever a gente melhor que nós mesmos!
Deveríamos ser mais gratos pela nossa beleza natural!
Auto- estima ou na falta dela, afeta em nossas escolhas de amigos que fazemos, em nossas apresentações de trabalhos em sala de aula, em nossas opiniões, em nossas brincadeiras e jogos, em como tratamos os outros, em nossas iniciativas, em nossa identidade, em nossa segurança e confiança,  principalmente em sermos  nós mesmos!

Obs: Expor os trabalhos de auto-retrato na sala de aula.